Há muitos documentos relacionados à saúde e à segurança que são fundamentais para a criação de um ambiente de trabalho confortável e seguro. Um deles é o laudo de periculosidade. Mas você sabe do que se trata esse documento? Qual é a sua importância? Neste texto, vamos responder a essas e a outras perguntas sobre o assunto. Continue com a leitura para aprender mais!

O que é um laudo de periculosidade e qual é a sua importância
Fonte: Freepik.

Entendendo o que é um laudo de periculosidade

Para entender o que é um laudo de periculosidade, é preciso definir a palavra “periculosidade”. De acordo com o dicionário, trata-se da “característica ou condição do que é periculoso; particularidade de perigoso”.

Desse modo, podemos observar que a periculosidade tem a ver com o perigo. Assim, no contexto de segurança do trabalho, quando falamos de periculosidade, estamos falando do nível de risco que um local de trabalho oferece aos funcionários que nele atuam. Atividades com um alto nível de periculosidade, portanto, apresentam também um alto nível de risco.

E quais são esses riscos? Bem, a Consolidação de Leis Trabalhistas, também conhecida como CLT, prevê os seguintes:

  • Energia elétrica;
  • Inflamáveis;
  • Explosivos;
  • Roubos e outras formas de violência física, no caso de atividades de segurança pessoal ou patrimonial;
  • Trabalho em motocicleta.

Sendo assim, ficam claras as situações nas quais existem fatores de risco que precisam ser levados em conta e examinados. E, para fazer isso, é necessário um documento que determine quais são esses riscos. Esse documento é o laudo de periculosidade, e sua formulação é essencial para a criação de um ambiente de trabalho sem perigos para os trabalhadores.

Saiba como fazer um laudo de periculosidade

Diante disso, fica claro que a importância do laudo de periculosidade não pode ser subestimada. Mas como elaborar esse tipo de documento? A seguir, vamos citar algumas medidas que são cruciais para a construção de um laudo de periculosidade.

Identifique as áreas de risco

Conhecer os fatores de risco de um ambiente não basta. Também é preciso que você saiba quais são as áreas específicas que oferecem aquele risco, para delimitá-las de maneira clara para os seus funcionários. Fotografias são muito úteis na hora de obter essas informações.

Examine as possibilidades de reduzir ou eliminar os riscos encontrados

Um laudo de periculosidade não serve apenas para listar riscos. Ele também serve para encontrar maneiras de diminuir ou eliminar esses riscos, trazendo maior segurança para os funcionários que atuarem na área. Para fazer isso, o ideal é optar por equipamentos de proteção (que podem ser de proteção coletiva ou individual, os EPCs ou os EPIs) e outras medidas de segurança do trabalho.

Não se esqueça de incluir a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART)

A Anotação de Responsabilidade Técnica, também conhecida como ART, é uma parte do documento que deve ser incluída depois que ele for redigido e revisado. Ela é assinada por um engenheiro de segurança do trabalho que, ao fazê-lo, assume a responsabilidade pelas informações que estão expostas naquele documento.

Lembre-se que, em conjunto com o laudo, devem ser anexados todos os documentos que ajudaram na sua elaboração, tais como fotos e arquivos. Finalmente, é importante saber que o documento final não deve ser absoluto. Ao invés disso, ele deve ser revisado e atualizado sempre que qualquer coisa afetar as condições em que ele foi originalmente redigido.

Contrate uma empresa especializada em segurança do trabalho

Agora que você já sabe o que é um laudo de periculosidade e qual é a sua importância, é hora de tomar medidas práticas para melhorar a segurança do trabalho da sua empresa. E, para fazer isso, é uma boa ideia contar com a ajuda de uma companhia especialista no assunto, como a Infotec Brasil.