Oracle mostra-se em São Francisco

          O OpenWorld serviu para a empresa reforçar a sua aposta na cloud e falar da importância estratégica do big data.

          Uma vez mais, a cidade de São Francisco serviu de palco ao OracleOpenWorld. O evento mundial, que reuniu cerca de 40 mil pessoas na cidade norte-americana, entre parceiros, clientes e jornalistas, permitiu à empresa reforçar a sua aposta na nuvem e também enfatizar a estratégia associada ao big data.

          Durante a sua apresentação, Mark Hurd aproveitou para aconselhar os parceiros a levar os clientes para a cloud da Oracle. O presidente da multinacional norte-americana defendeu a necessidade de a sua companhia contar com «um ecossistema capaz de gerar negócio nas suas mais variadas vertentes», ao mesmo tempo que deverá também «trabalhar com os parceiros para que estes revendam soluções cloud» da companhia.

          Na realidade, a nuvem assumiu aqui um papel importante na estratégia da Oracle e os parceiros são fundamentais, no sentido «de levar essa oferta ao mercado». Mark Hurd explicou que actualmente existem cerca de «200 canais com especialização para venda de tecnologia em nuvem», sendo indispensável «reforçar a aposta nesta área».

          Hurd falou ainda do desempenho da Oracle, assegurando que a companhia «tem investido e crescido onde outros ficaram parados», recordando os investimentos que a multinacional tem feito na América Latina (especialmente no Brasil e no México), bem como em algumas regiões da Europa e Ásia.

          O presidente da Oracle aproveitou para aludir ao conceito big data, outra importante aposta da companhia, lembrando que «existem nove mil milhões de dispositivos ligados à Internet hoje em dia, o que influencia a explosão de dados que vivemos actualmente».

          Antecipando um forte crescimento desta realidade, Mark Hurd acredita que o cenário trará consigo «a necessidade latente de muitas empresas lidarem com os seus legados de aplicações construídos há mais de 17 anos». Feitas as contas, «actualização e nova geração são oportunidades que estão a surgir e que a Oracle pretende aproveitar».

          Larry Ellison revela tecnologia in-memory

          Antes de Mark Hurd, já tinha subido ao palco Larry Ellison. O CEO e fundador da Oracle é um dos oradores mais aguardados de todo o evento, tendo aproveitado este ano para fazer uma série de anúncios. O primeiro surgiu desde logo associado à oferta de uma base de dados suportada por tecnologia in-memory capaz de trabalhar requerimentos «cem vezes mais rapidamente do que ferramentas anteriores», segundo assegurou.

          De acordo com o executivo, trata-se de uma solução com capacidade para «fornecer processamento em tempo real» e que «garante resultados instantâneos à medida que consegue tirar partido do melhor dos recursos de mapeamento por linha ou por coluna das estruturas de armazenamento transacionais ou analíticas».

          Na sequência deste anúncio, surge também o de um novo equipamento, o M6-32, uma «big memory machine» pensada para aproveitar todas as potencialidades da base de dados com tecnologia in-memory.

          A multinacional norte-americana apresentou ainda a Oracle database, backup, logging e recovery appliance, que prevê a oferta da solução como um serviço na nuvem. Larry Ellison explicou que todas as novidades agora apresentadas surgem associadas «à visão de data center do futuro», já que o fabricante acredita que essas estruturas «estarão repletas de máquinas especializadas capazes de oferecer um melhor desempenho por um custo mais adequado».

          Algumas novidades do Open World

          Arquitectura de Identity Governance: visa ajudar as empresas a optimizarem a experiência de identificação dos utilizadores, a racionalizarem a governação, a melhorarem os níveis de desempenho e a diminuírem o custo total de propriedade;
          Disponibilização de um relevante conjunto de actualizações de toda a sua oferta Oracle CX;
          10 novos serviços na Oracle Cloud: enriquecem o portfólio da Oracle e incluem aplicações, social, plataformas e serviços de infra-estrutura. Os novos serviços integram compute cloud, database cloud, Java cloud, business intelligence cloud, documents cloud e mobile cloud;
          Oracle Database Backup Logging Recovery Appliance: um engineered system que oferece um nível de protecção de dados quase sem nenhuma perda de informações críticas para os negócios.
          Oracle Database In-Memory: para ajudar os clientes a acelerarem o desempenho das suas bases de dados no que respeita a análise, data warehousing, reporting e online transaction processing (OLTP).

          Fonte: Semana Informática

          Deixe seu comentário

          Nome*

          Email* (não será publicado)

          Site