Os cinco desafios do gestor de TI

          Uma pesquisa global, com mais de 2.000 CIOs, aponta que 65% dos executivos afirmam que a principal barreira para otimização de custos está relacionada à habilidade dos recursos trabalharem com um mesmo objetivo. Os CIOs entendem que, se as organizações forem motivadas e quiserem atingir uma meta em comum, conseguirão um grande impacto em economia.

          “Os CIOs devem considerar incorporar cinco princípios-chave para formar a base da otimização contínua: transparência, agilidade, responsabilidade, simplificação e disciplina”, afirma a vice-presidente do Gartner, Barbara Gomolski. Entenda o porquê desses cinco princípios.

          1. Transparência: Há benefícios adicionais, como um melhor gerenciamento de demandas, identificação do valor do projeto, habilidade de conduzir a TI como um negócio, melhores capacidades de estimativas em TI e um “marketing” mais eficiente da área.

          2. Agilidade: Ao adotar a agilidade como um princípio-chave para a otimização, a empresa vai avaliar as iniciativas de modo a classificá-las, mantendo os custos ativos. Quando elas estiverem implementadas, o foco se voltará à gestão das demandas – o que garante que a TI leve o negócio a consumir apenas o necessário e proporcione opções para conduzi-lo por um caminho consistente e otimizado.

          3. Responsabilidade: Para que a TI seja continuamente otimizada, os líderes precisam tomar para si o futuro de seus departamentos. Eles devem, no mínimo, engajar-se ao negócio para gerir capacidade, recursos e funções. Se puderem prever as demandas para a TI, a área terá condições de fornecer os serviços da melhor maneira.

          4. Simplificação: Em termos de otimização de custos, a simplificação significa diminuir a complexidade para reduzir custos. Os sistemas de tecnologia são complexos, mas a falta de plataformas padronizadas, os processos de negócios inconsistentes e os serviços e SLAs de TI mal definidos levam ao aumento dos custos da TI.

          5. Disciplina: É essencial gerenciar a otimização de custos de maneira proativa e pensar nos objetivos a longo prazo, com painéis e métricas que meçam os aprimoramentos, ao invés de esperar por metas da “alta cúpula” a serem entregues.

          Fonte: Convergência Digital

          Deixe seu comentário

          Nome*

          Email* (não será publicado)

          Site